MENU

Poema

George Gordon, Lord Byron - To Augusta

THOUGH the day of my destiny’s over,
And the star of my fate hath declined,
Thy soft heart refused to discover
The faults which so many could find.


George Gordon, Lord Byron - To Augusta - Poema

THOUGH the day of my destiny’s over,
And the star of my fate hath declined,
Thy soft heart refused to discover
The faults which so many could find.
Though thy soul with my grief was acquainted,
It shrunk not to share it with me,
And the love which my spirit hath painted
It never hath found but in thee.

Then when nature around me is smiling,
The last smile which answers to mine,
I do not believe it beguiling,
Because it reminds me of thine;
And when winds are at war with the ocean,
As the breasts I believed in with me,
If their billows excite an emotion,
It is that they bear me from thee.

Though the rock of my last hope is shivered,




And its fragments are sunk in the wave,
Though I feel that my soul is delivered
To pain—it shall not be its slave.
There is many a pang to pursue me:
They may crush, but they shall not contemn;
They may torture, but shall not subdue me;
’Tis of thee that I think—not of them.

Though human, thou didst not deceive me,
Though woman, thou didst not forsake,
Though loved, thou forborest to grieve me,
Though slander’d, thou never couldst shake;
Though trusted, thou didst not disclaim me,
Though parted, it was not to fly,
Though watchful, ’twas not to defame me,
Nor, mute, that the world might belie.

Yet I blame not the world, nor despise it,
Nor the war of the many with one;
If my soul was not fitted to prize it,




’Twas folly not sooner to shun:
And if dearly that error hath cost me,
And more than I once could foresee,
I have found that, whatever it lost me,
It could not deprive me of thee.

From the wreck of the past, which hath perish’d,
Thus much I at least may recall,
It hath taught me that what I most cherish’d
Deserved to be dearest of all:
In the desert a fountain is springing,
In the wide waste there still is a tree,
And a bird in the solitude singing,
Which speaks to my spirit of thee.


George Gordon, Lord Byron - To Augusta - Poema - Tradução em Português

Embora o dia do meu destino tenha acabado,
  E a estrela do meu destino recusou
Teu coração mole se recusou a descobrir
  As falhas que tantos puderam encontrar.
Embora a tua alma com a minha dor estivesse familiarizada,




  Encolheu para não compartilhar comigo,
E o amor que meu espírito pintou
  Nunca encontrou, mas em ti.
 
Então, quando a natureza ao meu redor está sorrindo,
  O último sorriso que responde ao meu
Eu não acredito que seja cativante
  Porque isso me lembra da tua;
E quando os ventos estão em guerra com o oceano,
  Como os seios que eu acreditava comigo,
Se as suas ondas empolgam uma emoção,
  É que eles me carregam de ti.
 
Embora a rocha da minha última esperança esteja arrepiada,
  E seus fragmentos estão afundados na onda,
Embora eu sinta que minha alma está entregue
  Para a dor, não será seu escravo.
Há muita dor para me perseguir:
  Eles podem esmagar, mas eles não devem desprezar;
Eles podem torturar, mas não me subjugarão;




  É de ti que penso, não deles.
 
Embora humano, tu não me enganaste,
  Embora mulher, tu não abandonaste,
Embora amado, tu és obrigado a me afligir,
  Embora caluniador, tu nunca poderias tremer;
Embora confiado, tu não me negaste,
  Embora partido, não era para voar
Embora vigilante, "não me difame,
  Nem muda, que o mundo pode desmentir.
 
Mas eu não culpo nem o mundo, nem desprezo
  Nem a guerra dos muitos com um;
Se minha alma não estivesse preparada para valorizá-lo,
  "É tolice não esquecer antes:
E se caro esse erro me custou,
  E mais do que eu previ,
Eu descobri que, o que quer que tenha me perdido,
  Não poderia me privar de ti.
 




Do naufrágio do passado, que pereceu,
  Assim, pelo menos eu me lembro,
Ensinou-me que o que eu mais gostava
  Merecia ser mais querido de todos:
No deserto uma fonte está nascendo,
  No amplo desperdício ainda há uma árvore,
E um pássaro na solidão cantando,
  Que fala ao meu espírito de ti.



More by SANDERLEY

TRENDS - SONG LYRICS
Radar by Sanderlei
Everything in the musical world / Tudo que rola no mundo musical / ทุกอย่างในโลกดนตรี / Все в музыкальном мире / 音楽界のすべて.

Just Go - Viagem Volta ao Mundo
#JustGo - Sanderlei Silveira