MENU

Adolf Hitler - Minha Luta 「PDF」

Minha Luta (PDF) - Adolf Hitler - Livros em PDF para Download - Domínio Público - Mein Kampf (Minha Luta)

Um dos livros mais nefastos da história. O fim do livro proibido. Este livro, mal escrito, de teses abomináveis, foi a bíblia de um movimento, o nazismo, que dilacerou a Europa, primeiro, e o mundo a seguir.



TOP 1 Brasil



Adolf Hitler - Minha Luta 「PDF」

Minha Luta (PDF) - Adolf Hitler - Livros em PDF para Download - Domínio Público - Mein Kampf (Minha Luta)

Um dos livros mais nefastos da história. O fim do livro proibido. Este livro, mal escrito, de teses abomináveis, foi a bíblia de um movimento, o nazismo, que dilacerou a Europa, primeiro, e o mundo a seguir.

Um documento com esta natureza deve ser conhecido e deve ser publicado: a democracia deve conhecer os seus inimigos.

Esta edição da Guerra e Paz inclui a versão integral do texto. Mas antes, o leitor vai encontrar 90 páginas de análise da barbárie nazi e da história da ascensão, poder e crime do nazismo, por Manuel S. Fonseca: a violência da eliminação das forças democráticas alemãs; a emergência do ódio rácico de que um ultra-exacerbado anti-semitismo é o cume; a estarrecedora criação da solução final, com os campos de concentração e dos crematórios do Holocausto.

Precedido por uma história da ascensão, poder e crime do nazismo

Mein Kampf – A Bíblia Nazista



Embora seja considerado “escrito” por Hitler, Mein Kampf não é um livro no sentido comum. Hitler jamais sentou a frente de uma máquina de escrever ou escreveu manualmente alguma das páginas. Na verdade Adolf Hitler começou ditando o livro para Emil Maurice enquanto estava preso em Landsberg, e após 1924 passou a ditar para Rudolf Hess enquanto estava preso entre 1923-24 e concluiu numa pousada em Berchtesgaden.



Ler Mein Kampf é como ouvir Hitler falar demoradamente sobre a sua juventude, sobre o início do partido nazista, planos futuros para a Alemanha, e ideias sobre política e raça.

O título original que Hitler escolheu foi “Viereinhalb Jahre [des Kampfes] gegen Lüge, Dummheit und Feigheit” – “Quatro anos e meio de luta contra mentiras, estupidez e covardia” -, porém Max Amann, o encarregado das publicações nazistas, decidiu que o título era muito complicado e o abreviou para Mein Kampf – Minha Luta. “

O primeiro volume, intitulado Eine Abrechnung, é essencialmente autobiográfico e foi publicado em 18 de Julho de 1925; já o segundo volume, Die Nationalsozialistische Bewegung (O movimento nacional-socialista), é mais preocupado em expressar a doutrina nazista e foi publicado em 1926.

Em seu livro, Adolf Hitler divide os seres humanos em categorias com base na aparência física, estabelecendo ordens superiores e inferiores, ou tipos de seres humanos. No topo da qualificação, de acordo com Hitler, está o homem germânico com sua pele clara, cabelos loiros e olhos azuis. Hitler refere-se a este tipo de pessoa como um ariano. Ele afirma que o ariano é a forma suprema da raça humana, ou mestre.

E assim segue-se no pensamento de Hitler, se houver uma forma suprema do ser humano, então deve haver outros menos supremos, o Untermenschen, ou racialmente inferior. Hitler atribui essa posição para os judeus e os povos eslavos, nomeadamente os tchecos, poloneses e russos.

Em Mein Kampf, Hitler afirma: “… ela (a filosofia nazista) de modo algum acredita em uma igualdade de raças, mas junto com sua diferença, reconhece o seu valor maior ou menor e sente-se obrigado a promover a vitória do melhor e mais forte, e exigir a subordinação do inferior e mais fraco de acordo com a vontade eterna que domina esse universo. “

Hitler, em seguida, afirma o ariano é também culturalmente superior.



“Toda a cultura humana, todos os resultados de arte, ciência e tecnologia que vemos diante de nós hoje, são quase exclusivamente o produto criativo da ariana…”

Hitler ainda afirma que os povos inferiores devem se beneficiar por serem conquistados, pois assim entram em contato e aprendem com os arianos superiores. No entanto, ele acrescenta que tal benefício existe apenas enquanto o ariano for o senhor absoluto e não se misturar ou miscigenar com os povos inferiores conquistados.

Mas é contra os judeus que Hitler tem mais aversão, e demonstram isso afirmando que eles estão envolvidos numa conspiração para impedir que a raça superior assuma sua posição de direito como os governantes do mundo, por manchar a sua pureza racial e cultural e até mesmo inventar formas de governo em que o ariano acredite na igualdade e não reconhece sua superioridade racial.

Hitler descreve a luta pela dominação do mundo como uma batalha racial, cultural e político entre arianos e judeus. Ele descreve seus pensamentos em detalhes, acusando os judeus de conduzir uma conspiração internacional para controlar as finanças do mundo, controlando a imprensa, inventar a democracia liberal, bem como o marxismo, a promoção da prostituição e vício, e usar a cultura para espalhar a desarmonia.

Ao longo de Mein Kampf, Hitler se refere aos judeus como parasitas, mentirosos, sujo, astuto, manhoso, astuto, inteligente, sem qualquer verdadeira cultura, um parasita, um intermediário, um verme, sugadores de sangue eterno, repulsivo, sem escrúpulos, monstros, ameaça, estrangeiros, sanguinários, avarentos, o destruidor da humanidade ariana, e o inimigo mortal da humanidade ariana…

Isto, combinado com a atitude racial de Hitler contra os judeus, seria compartilhada em diferentes graus por milhões de alemães e pessoas de países ocupados, que permaneceram em silêncio ou participaram ativamente no esforço nazista de exterminar toda a população judaica da Europa.

Mein Kampf também fornece uma explicação para as conquistas militares mais tarde por Hitler e os alemães. Hitler afirma que, os arianos são a raça superior e por isso têm direito de adquirir mais terra para si. Este Lebensraum, ou espaço de vida, será adquirido pela força, e estas incluem as terras a leste da Alemanha, ou seja, a Rússia. A terra seria usada para cultivar alimentos e para fornecer espaço para a população ariana em expansão à custa dos povos eslavos, que estavam a sendo removidos, eliminados ou escravizados.



Mas para conseguir isso, a Alemanha terá que derrotar seu velho inimigo, a França, e vingar a derrota alemã da Primeira Guerra Mundial, assim como para proteger a fronteira ocidental. Hitler relembra amargamente o fim da Primeira Guerra Mundial, dizendo que ao exército alemão foi negado a sua chance de vitória no campo de batalha por traição política. No segundo volume de Mein Kampf, ele atribui maior parte da culpa aos conspiradores judeus.

Mein Kampf quando foi lançado em 1925 teve venda inexpressiva. Até mesmo seu editor se decepcionou com o conteúdo do livro, pois esperava uma história autobiográfica detalhada e com ênfase no Putsch da Cervejaria, porém Hitler não entrou em detalhes sobre sua vida pessoal e não escreveu nada sobre o Putsch. Além de que as centenas de páginas eram de difícil compreensão e seus eram parágrafos vagos, compostos por um homem autodidata. Houve a necessidade de editar e reeditar antes de ser impresso.

No entanto, após Hitler se tornar chanceler da Alemanha, milhões de cópias foram vendidas. Cada alemão procurava adquirir sua cópia. Era comum presentear o livro a crianças recém-nascidas, ou como presente de casamento. Todos os estudantes o recebiam na sua formatura.

Porém todas as revelações sobre a natureza de seu caráter e seu plano para o futuro da Alemanha serviu como um aviso para o mundo. Um aviso que foi ignorado na maior parte.

Ainda hoje influencia pessoas, sendo considerado como a Bíblia Nazista pelos Neo-nazistas.


Adolf Hitler - Minha Luta 「PDF」


Livro em PDF para Download - Domínio Público